09 de Março de 2009

 

 

 

Um pouco de História ….

 

Situada no interior da metade sul concelhia e distando cerca de 27 quilómetros para sul da respectiva capital, a freguesia de Salsas obtém ligação àquela cidade quer através da E.N. 15, quer pelo IP 4 (em itinerário que se completa por intermédio de um curto ramal camarário de acesso).

O povoado principal da freguesia constitui-se aliás como importante entreposto viário, aqui se estabelecendo outrora a Estalagem do Correio Real, edifício onde era efectuada a mudança das cavalgaduras, estrutura que se preservará ainda. Posteriormente, e com a construção da Linha de Caminho de Ferro do Sabor, foi o local escolhido para uma das estações, complexo que também se conserva, pese embora a desactivação daquela linha, ocorrida a pouco mais de uma década atrás.

S. Nicolau de Salsas conta actualmente com cerca de 600 residentes, entregando-se a população activa, fundamentalmente, ás actividades do sector primário (notabilizando-se a produção de castanha). Pouco se saberá de recuados povoamentos neste território paroquial, de mediana extensão e pouco acidentada topografia (esta de características planálticas, com altitudes mediando entre os 500 e 750 metros). Percorrendo agora as diversas aldeias, há que salientar os diversos motivos de interesse patrimonial nas mesmas representado. Em Salsas notabiliza-se, para além da Igreja Matriz (com sua frontaria de granito em cuidada cantaria e os magníficos tectos do interior), a Capela de S. Roque (com Nicho de Alminhas fronteiro datado de 1927), um interessante exemplar de arquitectura solarenga – a Casa Sá Morais, uma pequena Ponte de diversas fontes de mergulho encapeladas em cantaria.

 

Em Vale de Nogueira vale também a Igreja, ampla, bem conservada e de formosa arquitectura seiscentista. A curta distância fica uma fonte encapelada com a data de 1688 gravada no exterior do arco de cobertura. A Casa Grande, embora de modesta traça, merece também alusão.

Em Chãos fica a Capela do Divino Salvador, bastante espaçosa e de austera traça. No lugar de Moredo fica outro interessante templo, em cujo o interior é de apreciar o Altar das Almas, de formosa talha. Curiosa designação é a de uma estrutura em cantaria, bem preservada e conhecida por “fonte que ardeu”. Na margem da pequena Ribeira de Vilalva notam-se as ruínas de um antigo moinho comunitário. Preservando ainda algumas interessantes tradições etnofolclóricas, temos finalmente Freixeda, também com o seu airoso templo e a imprescindível fonte de mergulho. A S. Nicolau de Salsas se liga particularmente a celebrada Festa dos Caretos, onde à utilização ritual das características máscaras em madeira, de terríficas e assustadoras expressões, se juntam as garridas e extravagantes vestimentas. Como se não bastasse ao esconjuratório ritual os diabólicos chifres, arreganhados dentes, compridas línguas e postiças caudas dos “caretos”, ainda estes se entregam a infernal barulheira, chocalhando e percutindo uma parafernália de improvisados “instrumentos”.

 

Área: 25,504 Km2

 

Distância à sede de concelho: 27 Km

 

Anexas: Freixeda, Moredo e Vale de Nogueira

 

Actividades económicas

Agricultura, pecuária e comércio de material de construção civil (sendo a castanha a principal fonte de rendimento).

 

Festas e Romarias

Salsas: S. Roque (16 de Agosto) e Corpo de Deus (dia do Corpo de Deus);

Em Chãos: Divino Senhor dos Chãos (14 de Setembro);

Em Freixeda: S. Julião (2 de Agosto), Santo António (Agosto) e Santiago (Agosto).

 

Património

Igrejas matriz, de Vale de Nogueira, de Moredo, de Freixeda e da Confraria do Divino Senhor dos Chãos, cruzeiro, Capela de S. Roque, Residência Paroquial, Estalagem do Correio Real, ponte de pedra, Estação do Caminho-de-Ferro de Salsas, casa de Mateus, as fontes de mergulho ou do

angaranho, uma fonte datada de 1801 em Freixeda, a Capela de São Julião, fontes de mergulho de Moredo, um moinho comunitário, fontes de mergulho em Vale de Nogueira, a Casa de Sá Morais e algumas casas típicas.

Outros Locais

Local Divino Senhor dos Chãos e área privilegiada para a caça.

 

Gastronomia

Botelo com casulas, posta à Mirandesa, fumeiro (derivado da matança do porco), Sopa de

Castanha, Posta à Mirandesa, Folar de Carne, os Económicos e os Adormecidos.

 

Artesanato

Tecelagem, telha regional e mantas de lã feitas no tear.

 

Colectividades

A associação Recreativa e Cultural de Salsas, a Associação de Regadio de Vale de Nogueira, a Comissão da Fábrica da Igreja de S. Nicolau da Freguesia de Salsas, a Confraria do Divino Senhor da Agonia dos Chãos, o Grupo desportivo e cultural de Freixeda e o Grupo desportivo e Cultural de Moredo.

 

Orago

S. Nicolau.

 

Tradições

Para além das festas religiosas, existe ainda a festa dos Caretos com características de ritos antigos devido à presença das máscaras (os caretos), que saem à rua no dia de Reis. Entre os Reis e o Carnaval pratica-se o Tocar do Lato, embora não com tanta regularidade com que se realizava antigamente. Existem ainda outras tradições, como “Serrar as Velhas” e contratos de casamentos no Domingo Gordo.

Na freguesia de Salsas praticam-se ainda jogos tradicionais como o jogo do Fito, a Raiola, a Relha, o jogo da Pedra e o jogo dos Paus. Na romaria do Divino Senhor dos Chãos, dia 14 de Setembro, há uma luta tradicional de touros.

 

 

 

 

 

 

publicado por centrosaoroque às 14:58

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


subscrever feeds
blogs SAPO